Apap – Seu percurso

Dia 1º de agosto de 1980, dia do aniversário da cidade, vários artistas plásticos idealistas e realizadores reuniram-se no Lar dos Velhinhos e fundaram a ASSOCIAÇÃO PIRACICABANA DOS ARTISTAS PLÁSTICOS – APAP.

Foi formada inicialmente por representantes da arte acadêmica, cujas profundas raízes históricas em Piracicaba remontam a Almeida Júnior, além de cultuada com grande carinho por Frei Paulo e tão difundida e ensinada pela família Dutra em anos recentes.

O grupo dos fundadores naturalmente escolheu esta linha artística. Estavam presentes à solenidade, no Lar dos Velhinhos, representantes da família Dutra, encabeçado por Archimedes Dutra. Nesta memorável reunião estiveram Alberto Thomazi, Alfredo José Ricardo, Antonio Pacheco Ferraz, Edson Rontani, Eduardo Borges Araújo, Ernesto Portante, Eugênio Nardim, Faustino Fernandes de Souza, Orlando Guidetti, Gumercindo Duarte, Hugo Cesar Benedetti, Jairo Ribeiro de Mattos, João Dutra, Manoel Martho, Marco Cavallari, Maria Graziela V. de França Helene, Nélio Ferraz de Arruda, Olavo Ferreira da Silva, Renato Wagner, Walderes Thame, entre outros.

A primeira diretoria foi assim constituída: Archimedes Dutra (Presidente), José Ortiz Monteiro (Vice-Presidente), Olavo Ferreira da Silva (1º Secretário), Alberto Thomazi (2ºSecretário), Orlando Guidetti (1ºTesoureiro), Edson Rontani (2ºTesoureiro), Gumercindo de Lourdes Duarte (Diretor de Patrimônio), Maria Cecília Neves, Rubens Caldari e Renato Wagner (suplentes).

Após 7 anos, em 08/05/1987, foi realizada a 2ª reunião da APAP na sala do Teatro Municipal, sob a Presidência de Olavo Ferreira da Silva, porque devido ao falecimento de Archimedes Dutra e ao pedido de demissão do vice, as atividades haviam cessado.

A 2ª Diretoria ficou assim constituída: Olavo Ferreira da Silva (Presidente), Nélio Ferraz de Arruda (Vice Presidente), Maria Cecília Neves (1ª Secretaria) e Eloiza A Del Nery Rizzo (2ª Secretaria), Eugenio Nardin (1º Tesoureiro) e [Aurea Amélia Pitta Rocha (2ª Tesoureira), Gumercindo de Lourdes Duarte (Diretor de Patrimônio) e Manuel Martho, Edison Bizeto e Gladys K Ferreira (Suplentes), Conceição G Azevedo (Relações Públicas) e Benedito E da Costa (Orador).

Em 22/09/1988 foi realizada a 1ª Exposição da APAP na qual não houve premiação.

A Mostra “Almeida Junior” foi instituída na gestão de Eugenio Nardin em 1989.

Presidentes:
Eugênio Nardim – assume a presidência de 1989 a 1993 depois do falecimento de Olavo Ferreira da Silva dando continuidade a seu trabalho nomeando a mostra da Associação com o nome de Mostra “Almeida Jr” 1989. Eduardo Borges elabora a medalha do Almeida Jr.Toma iniciativa de passar a enviar as obras dos artistas para outros salões. Cria o Jornal “Vivendo Arte”.

Eduardo B. Araújo assume a presidência de 1993 a 1995 e depois de 2003 a 2005. Foi o primeiro presidente a trazer, para selecionar as obras da Mostra Almeida Jr, juris de outras cidade, até então só tinha juris da cidade. Com isto consegue um maior rigor nas avaliações das obras. Realiza a exposição dos 150 anos da Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba.

Vera Pavanelli assume a presidência de 1995 a 1997. Cria um salão infanto-juvenil, tendo como prêmio a gratuidade em aulas de ateliês da cidade. Consegue junto ao prefeito Antonio Carlos Mendes Thame o decreto que dá a APAP o direito de ter sua sede dentro da Pinacoteca Municipal “Miguel Dutra” e abre junto à Mostra, mostras paralelas.

Lauro Annichino Pinotti assume a presidência de 1997 a 1999. Monta a Galeria de Arte na internet e o primeiro site. Faz duas edições da Mostra Libre com arte contemporânea e abre os Núcleos de arte contemporânea, acadêmica, artes visuais e fotografia. Em sua gestão consegue no Shopping Center Piracicaba espaço contínuo de exposição e venda.

Gil Schreiber da Silva assume a presidência de 1999 a 2001. Cria o troféu Amigo da Arte, elaborado por Alaíde Ruschell, para aqueles que faziam algo pela arte, não precisando ser necessariamente um artista. Delfim Rocha regularizou a parte jurídica da Associação perante o fisco Federal.

Marco Antonio Cavallari assume a presidência de 2001 a 2003. Refaz o logotipo da APAP, cria o diploma de posse dos associados e cria a Mostra Primavera e seu modelo de medalha.

Delfim Sergio Freire da Rocha assume a presidência de 2005 a 2007. Adequa o estatuto perante as novas exigências do código civil e moderniza a contabilidade das APAP. Monta o novo site que permanece até hoje e consegue junto a Câmara dos Vereadores estabelecer o Dia Municipal do Artista Plástico. Vitaliza o projeto arte ao ar-livre e lança a mostra Recantos de Piracicaba.

Margarete Zenero assume a presidência de 2007 até a 2011. Com Rubens Zílio na vice-presidência, Dr. João Orlando Pavão na Tesouraria e Viviane Gibin na Secretaria. Inicia seu mandato montando a Galeria dos Presidentes e dando aos mesmos o diploma de sócio benemérito. Consegue na Câmara através do vereador Ary Pedroso Jr o Prêmio Aquisitivo da Câmara para a Mostra “Almeida Jr”. Cria o Prêmio Lazaro de Oliveira e retoma o Prêmio “Hours concurs”. Cria o projeto Experiências Artísticas com workhops mensais e excursões culturais semestrais. Monta a biblioteca da APAP. Compra o primeiro computador e impressora multifuncional para a APAP, podendo, assim, passar informações diárias aos associados. A APAP passa a ter estudos semanais sobre a arte contemporânea com Natal Gonçalves. Cria a Mostra Joca Adamoli, só para artistas contemporâneos e Consegue a utilidade Publica Municipal

Gracia Nepomuceno assume a presidência de 2012 a 2014 com Margarete Zenero na vice-presidência, Marcos Sabadim como Tesoureiro e Vera Gutierrez na Secretaria. Inicia seu mandato conseguindo a Utilidade publica Estadual e Federal. Estabelece convênio com a Prefeitura Municipal de Piracicaba através da SEMAC, e Implanta a impressão do primeiro catálogo da Mostra Primavera já em sua 12ª edição, e também do primeiro catálogo do Salão “Joca Adamoli” de Arte Contemporânea em sua 4ª edição. Estabelece parceria com a Faculdade Anhanguera para realização de exposições de associados em suas dependências e elaboração de catálogos de mostras; Incentiva a pintura ao ar livre, oferecendo um workshop de técnicas da pintura in plain air, iniciativa que contribui para a prática junto ao  grupo Caipiras do Plein Air. Estabelece um contrato para elaboração de um novo site da APAP, mais dinâmico e atual. Reune um grupo de associados para a pintura voluntária da Pediatria Menino Jesus da Santa Casa de Misericórdia. Envolve os associados na campanha “Tricotando com Amor” do FUSSP. Consegue junto à SEMAC a viabilização de uma sala para sede da APAP junto ao prédio da Orquestra Sinfônica de Piracicaba.

Objetivos:

a) Intensificar as relações de amizade e solidariedade entre seus associados;
b) Prestigiar e defender as tradições das Artes Plásticas de Piracicaba;
c) Cooperar em iniciativas que visem aperfeiçoar ou aprimorar as condições técnicas e administrativas dos movimentos artísticos;
d) Cultivar as relações entre seus sócios e com entidades congêneres;
e) Defender o patrimônio Histórico Cultural de Piracicaba;
f) Estimular o ensino e o aprendizado das Artes Plásticas;
g) Se preciso, e em benefício de seus associados e da coletividade em geral, poderá colaborar com os órgãos governamentais para finalidades culturais e sociais;
h) Promover exposições, conferências, debates, cursos e outras atividades a fim de divulgar e manter o estreito intercâmbio e desenvolvimento de idéias e atividades artísticas entre seus associados;
i) Receber bens materiais em benefício da Associação;
j) Oferecer prêmios, colaboração, visando promover os associados nas atividades artísticas;
k) Promover anualmente uma mostra coletiva de arte de seus associados;
l) Catalogar, biografar e publicar a cada cinco anos a vida e obra dos associados;
m) Manter um acervo de arte em seu patrimônio, que poderá ser formado por doações, prêmios, aquisições em mostras de arte;
n) Manter e defender os valores éticos da profissão de artista plástico.