Breve história de Almeida Júnior

Almeida_Júnior,_fotoDesde menino, Almeida Júnior manifestou grande pendor pelas artes plásticas. Aos 19 anos pintava tão bem que sua cidade Itú, através de seus concidadãos, forneceu-lhe meios para estudar na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro.

Conhecido como o “Poeta do Pincel” foi tutelado por Dom Pedro II para estudar na França e isso se deu em 1876.

Em 1878 recebe o seu primeiro prêmio na França.

Em 1879 é selecionado para o Salão de Paris; em 1880 novamente no Salão de Paris com os quadros: Remorso de Judas e o Derrubador Brasileiro. Em 1882 expõe em Paris “Descanso do Modelo”.

Voltando da Europa, passa a residir em São Paulo, mas vem muitas vezes a Piracicaba
.
Em 1886 Almeida Júnior retrata a grande paixão da sua vida – Maria Laura do Amaral Gurgel – sob o título de “A Noiva”.

Nesta época seu olhar está totalmente voltado para a terra, para realização de sua gente e ele produz os seus mais famosos quadros: O Caipira, Caipira Negaceando, Caipira Picando Fumo.

Sua última grande obra, “O Violeiro” foi pintada em 1899. No dia 13 de novembro desse ano, aos 49 anos de idade, ele foi assassinado na porta do Hotel Central pelo marido de Maria Laura.

O pintor brasileiro mais importante da segunda metade do século XIX nasceu no dia 08 de maio de 1850 na cidade de Itú. Em sua homenagem, foi instituído o Dia do Artista Plástico comemorado no dia 08 de maio.

Além de ter seu nome na praça que antes era o chamado Jardim da Cadeia, em uma travessa que se inicia na rua Otávio Teixeira Mendes e termina na rua Riachuelo, da homenagem que é prestada no mausoléu do artista existente no cemitério da saudade todos os anos, do livro escrito pelo Prof. Hugo Pedro Carradore (Os Caminhos de Almeida Júnior), desde 1989 foi criada pela APAP a Mostra Almeida Júnior que se realiza todos os anos, ininterruptamente, somando um total de 27 mostras e que se dá sempre na semana de aniversário do nascimento do artista.

O salão tem como objetivo reverenciar a memória do mestre da pintura, valorizando os artistas, oferecendo a sociedade o conhecimento de novas linguagens e técnicas pictóricas.